terça-feira, 5 de março de 2013

Causas da Disfunção Erétil

A Disfunção Erétil (DE) frequentemente começa devido a fatores físicos, embora também haja casos nos quais é causada por motivos psicológicos. Explicamos a seguir em que consistem ambas as causas: Disfunção Erétil Psicológica Ao contrário da crença popular, os fatores psicológicos não são a principal causa da Disfunção Erétil. Acredita-se que estes sejam apenas 10% dos casos. A disfunção sexual psicológica é causada por nervosismo, ansiedade em relação ao desempenho ou medo de falhar durante a relação sexual. Estes fatores produzem no corpo uma descarga de adrenalina. Esta, por sua vez, causa diminuição do fluxo sanguíneo na região do pênis, provocando assim uma dificuldade na ereção. A Disfunção Erétil psicológica pode se perpetuar com o tempo: cada insucesso em obter ereção aumenta os níveis de ansiedade associados, o que se transforma em um círculo vicioso difícil de superar sem ajuda. Outros fatores psicológicos incluem estresse, sentimento de culpa, falta de desejo, depressão, etc. Estresse e problemas psicológicos, como a depressão, atingem 43% dos homens e são significativos para a Disfunção Erétil. Disfunção Erétil Física ou Orgânica Atualmente, acredita-se que até 90% dos casos são originados por fatores orgânicos, geralmente relacionados com má circulação sanguínea, ou “insuficiência vascular”. O pênis precisa receber um fluxo de sangue adequado para que o homem possa ter ereção. Um fluxo insuficiente pode determinar que a ereção não se mantenha durante a relação sexual e inclusive que esta não se complete. Fatores associados à disfunção orgânica: • Diabetes – A DE ocorre em pelo menos metade dos homens com diabetes. A incidência de Disfunção Erétil aumenta a cada década de idade, sendo maior para homens com diabetes. • Hipertensão – A presença de hipertensão aumenta três vezes a prevalência de doença arterial coronária e também o risco de Disfunção Erétil mais grave. A hipertensão representa 43% dos pacientes com DE. • Colesterol elevado – 71% dos homens com Disfunção têm colesterol alto. • Risco cardiovascular – As doenças cardiovasculares afetam 58% dos homens com Disfunção Erétil, uma doença predominantemente de origem vascular. A incidência deste problema aumenta com a idade, sendo maior para homens com doença cardíaca e pressão arterial alta. • Depressão – A relação entre sintomas depressivos e Disfunção Erétil em homens de meia idade é real e muito presente. • Fármacos: diuréticos, beta-bloqueadores, simpatolíticos, sedativos, hipnóticos, tranqüilizantes, … • Álcool, fumo e drogas – Quase metade dos homens que fumam apresentam alguma Disfunção Erétil. A mesma porcentagem serve para o alcoolismo que também prejudica a vida sexual. • Problemas de próstata Estudos Científicos Médicos • Disfunção Erétil está associada com alta prevalência de hiperlipidemia e risco de doença arterial coronariana • Relação entre sintomas depressivos e disfunção erétil masculina • Associação de problemas sexuais com problemas sociais, psicológicos e físicos em homens e mulheres • Incidência de disfunção erétil em homens com 40 a 69 Embora associada com o envelhecimento natural e problemas da vida contemporânea, a Disfunção Erétil não é uma consequência inevitável. Existem tratamentos bem-sucedidos que garantem uma vida sexual saudável e prazerosa. Leia Também Disfunção Erétil Diagnóstico da Disfunção Erétil Tratamento da Disfunção Erétil

Nenhum comentário:

Postar um comentário

CHARLES AZNAVOUR AVE MARIA