quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Você...

Sinto a madrugada arriar-se pesadamente sobre meus ombros e corpo, o seu cobertor pesado e umedecido de sangue... do meu sangue que jorra no leito 
da noite deserta e órfã... Enquanto tudo transcorre agonizantemente... Ela...
serena como uma criança morre... dorme... suavemente em seu leito virgem
esquecida que o mundo para mim se abre em pedaços de tristeza e solidão .
E Ela... ainda acordada tivesse... que se dane o mundo mesmo por que Ela...
não sou eu. Eu sou de mim a tristeza; em meu próprio mundo morro vigilante
a tudo... enquanto Ela... dorme profundamente... C'est la vie mon amour...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Amor e O Ódio

(evangelista da silva) Se se nega o Amor Nasce a infelicidade de ser! Se o Amor zomba do ser Eis que brota do mais profund...