quarta-feira, 10 de abril de 2013

INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA




A ACEITAÇÃO DO DIAGNÓSTICO É O PRIMEIRO PASSO PARA ACEITAR O TRATAMENTO.







✓A Insuficiência Renal Crônica, requer tratamento por tempo indeterminado, ou seja, para o resto da vida. Muitas vezes, os pacientes crônicos podem sentir-se frustrados ou cansados pelo desconforto constante do tratamento e também do monitoramento que a doença exige. Quando o paciente recebe o diagnóstico de uma doença crônica, este pode sentir uma
variedade de emoções, como por exemplo, choque, negação, raiva, depressão, tristeza, entre outros. A aceitação do diagnóstico é o primeiro passo para iniciar o tratamento.

✓Muitas vezes, mesmo após o paciente ter aceitado o diagnóstico, alguns pacientes lutam ainda contra o caráter invasivo da doença. Ou seja, é o nível que uma doença pode afetar a vida de um indivíduo, interferindo nas suas atividades, nos seus planos de vida e na auto-estima. Sendo assim, os psicólogos são estremamento importante, pois trabalham no sentido de realizar intervenções para orientar os pacientes a reestruturar os seus objetivos de vida, aumentar a participação em atividades que tragam prazer, assim como proporcionar o apoio social e da família e desenvolver as capacidades do paciente para enfrentar a doença.

✓Na maioria das vezes, algumas mudanças no estilo de vida, como por exemplo, a prática de exercícios físicos, dieta alimentar adequada, controle do peso e do estresse ajudam o paciente a ter uma vida com qualidade.

✓De acordo com alguns autores, as enfermidades crônicas podem provocar uma série de conflitos psicológicos, dentre eles: a regressão (atitude infantilizada frente a situação de doença), a negação ( não aceita a doença), a intelectualização (busca informações a respeito da enfermidade com o objetivo de que a doença possa desparecer ou curar), a agressividade (readquirir o controle), a dependência (busca de apoio em uma outra pessoa a qual identifica-se e sente-se fortalecido para enfrentar o tratamento), a depressão (luto pela perda da saúde), a barganha (tentativa de negociar o seu tratamento, com a intenção de diminuir o sofrimento) e a aceitação (o paciente compreende as limitações que a doença e o tratamento colocam em sua vida).

✓Com relação à adesão a regimes de tratamento, o psicólogo trabalha as questões relacionadas à adesão e não-adesão, procurando sempre desenvolver ações para aumentar a adesão a diferentes fases do tratamento. Muitas vezes, a pessoa quando descobre a doença não percebe o tratamento como obrigatório, porque não entende as conseqüências que pode ter a longo prazo. Os psicólogos trabalham um regime de tratamento que envolve as seguintes fases: o entendimento da doença (a pessoa não se sente doente, não entende o porque de mudar a dieta), compreender a relação entre o diabete e o regime, a própria ação em executar as orientações médicas e da equipe multidisciplinar e acompanhar o paciente para evitar recaídas. É muito importante procurar a ajuda de um profissional da área da saúde, com o objetivo de evitar que os aspectos psicológicos influenciem de forma negativa o tratamento e a qualidade de vida das pessoas.

✓É importante lembrar que a família do paciente também vivencia as limitações que o tratamento e a própria doença trazem, fazendo com que muitas vezes, tenham comportamentos de superproteção ou até mesmo de abandono. A orientação para os familiares também se faz necessária.

✎POR ISSO SE VOCÊ ESTA PASSANDO POR ESTE MOMENTO, PROCURE ACOMPANHAMENTO DO PROFISSIONAL CUIDADOR
ELE É UM PROFISSIONAL DE EXTREMA IMPORTÂNCIA EM
TODAS AS FASES E MODALIDADES DE TRATAMENTO.

➨FONTE:Franceline Ap. Prolungati de Oliveira
Psicologa - CRP: 06/77811

Um comentário:

  1. A nobre psicóloga esquecera de falar que é de mais importante para o paciente em DRC. - Doença Renal Crônica, em hemodiálise. O transplante de RIM ainda é o maior "milagre" que ocorre nos grandes centros onde o Estado respeita a Dignidade da Pessoa Humana, com exceção de SALVADOR/BAHIA, a exemplo de Santa Catarina, que é referência nacional, em seguida, São Paulo.(Raimundo José Evangelista da Silva)

    ResponderExcluir

Para Aldo Fornazieri, 'convulsão social já está ocorrendo'

Crise Na opinião de professor de Filosofia Política, "Temer está dando uma aula de como os profissionais de uma quadrilha reagem co...

Tornar a ver