quarta-feira, 12 de outubro de 2011

SENHOR

 

 







Senhor...
Aqui, Senhor...
O vento brinca,
A saudade é paz,
A sombra é amor.

O poeta ao belo se perde
Como diante dos morenos e serenos seios
Da virgem que alucina...
Seus olhos...
Rostos,,,
Boca...
Nariz...
Pernas e corpo - tentação
Rasgam-lhe o peito exitação.

Quer ver uma coisa, Senhor?
Venha conhecer as Palmeiras...
As poéticas tardes e noites também,
Onde o vento e a sombra são saudades,
E o véu do dia - repouso dos casais.

(evangelista da Silva in Cantos e Lamentos de Um Poeta)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

JORGE DONN - Bolero de Ravel