quarta-feira, 12 de outubro de 2011

SENHOR

 

 







Senhor...
Aqui, Senhor...
O vento brinca,
A saudade é paz,
A sombra é amor.

O poeta ao belo se perde
Como diante dos morenos e serenos seios
Da virgem que alucina...
Seus olhos...
Rostos,,,
Boca...
Nariz...
Pernas e corpo - tentação
Rasgam-lhe o peito exitação.

Quer ver uma coisa, Senhor?
Venha conhecer as Palmeiras...
As poéticas tardes e noites também,
Onde o vento e a sombra são saudades,
E o véu do dia - repouso dos casais.

(evangelista da Silva in Cantos e Lamentos de Um Poeta)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para Aldo Fornazieri, 'convulsão social já está ocorrendo'

Crise Na opinião de professor de Filosofia Política, "Temer está dando uma aula de como os profissionais de uma quadrilha reagem co...

Tornar a ver