segunda-feira, 10 de março de 2014

Prof. Phd. Neurologista, Neurocirurgião, Neurocientista, Cícero Galli Coimbra Adverte!!!

Sobre a injustiça de um jogo econômico das doenças crônicas entre farmácias e a medicina visando o enriquecimento e não a cura das pessoas. No entanto há conhecimento atual da ciência medica voltada á prevenção, recuperação e cura completa de doenças neurodegenerativas, infecciosas e autoimunitárias, males que mais matam, entre tantas outras doenças que têm acometido a população do planeta. Doenças que hoje podem ser tratadas com terapia natural por médicos atualizados e com “treinamento adequado para ser responsável pela avaliação caso a caso e a específica determinação de dosagem, em contrário haverá sérios danos à saúde” (2).
Todas as pessoas que desenvolvem doenças autoimunitárias e neurodegenerativas, tais como Mal de Parkinson, Esclerose Multipla, Psoríase, Vitiligo, Lúpus, Tireoidite, Artrite Reumatoide, Alzheimer, Diabetes, Câncer e a própria Depressão, entre outras, como Esquizofrenia, distúrbio Bipolar, Asma, têm verificada em exames de sangue, o 25(OH)D3, a deficiencia de Colecalciferol, a Vitamina D3, a vitamina do Sol.
Porem é bom que se tenha consciência disso, todas essas patologias têm cura e existe meio eficaz de prevenir doenças por meio natural. Através da substancia que existe em todos os seres vivos há mais de 500 milhões de anos, que é o hormônio esteroide que a pele exposta ao sol nos horários corretos produz, conhecida como vitamina D.
A saúde e a vida das pessoas humanas têm forte relação com a possibilidade de acesso à informação e educação. Esta certeza é do conhecimento planetário. Há tratados internacionais que refletem a preocupação com a importancia de prevenir danos à saúde através da informação e educação. Entre as convenções internacionais referentes à possibilidade de prevenção de deficiências, bem como de agravamento de doenças, encontram-se oPrograma de Ação Mundial para Pessoas Deficientes e a Convenção de Salamanca.
E a Lei Maior brasileira, que é o importante nestaquestão tanto relativa à prevenção de doenças e a inviolabilidade do direito à vidaquando ao acesso livre ao conhecimento e a informação, ainda não é cumprida. Da censura e descaso, existem fatos corriqueiros de larga omissão na oferta e divulgação da verdade cientifica assim como na prestação da assistência à saúde com recursos atuais de modo universal à toda população, como reza a Constituição do Brasil e o governo não a cumpre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Apelação no Novo CPC: o que mudou?

                                                                                              v Apelação no Novo CPC: o que mudou? ...

Tornar a ver