terça-feira, 6 de agosto de 2013

Aumenta número de mulheres vítimas de infarto e derrame

Estado de São Paulo

Aumenta número de mulheres vítimas de infarto e derrame

Juliana Conte


Coração-1_sablamek_iStock_Destaque-1_2
O número de mulheres internadas por infarto no estado de São Paulo aumentou 34% nos últimos quatro anos. Em 2012, foram 8.570 internações nos hospitais públicos, contra 6.395 em 2008. Já o número de atendimentos para aquelas que sofreram AVC (derrame) subiu 14% nesse mesmo período, saltando de 17.789, para 20.428. Em média, sete mulheres que sofrem infarto são atendidas por hora em hospitais do SUS (Sistema Único de Saúde) paulista.
A médica Magaly Arrais, chefe do Serviço do Centro Cirúrgico do HCor (Hospital do Coração), aponta que alguns hábitos modernos contribuem para esse aumento. “A obesidade e o sedentarismo são hábitos que podem desencadear doenças cardíacas, principalmente em mulheres que têm parentes que já enfartaram. A circunferência abdominal da mulher não pode passar de 88 centímetros. Acima dessa medida, aumenta o risco de enfermidades cardiovasculares. Também é muito importante diminuir o consumo de frituras, açúcares e aumentar o de fibras, legumes, verduras e peixes.”
O programa Meu Prato Saudável, parceria do Incor (Instituto do Coração) do Hospital das Clínicas da FMUSP com a LatinMed Editora em Saúde, sintetizou uma orientação voltada especificamente para a proteção do organismo das mulheres contra doenças cardiovasculares. ”As mulheres estão cada vez mais parecidas com os homens quanto ao estilo de vida, mas é possível mudar esse quadro por meio da prevenção”, afirma Lara Natacci, nutricionista do programa.

A recomendação é que uma refeição contenha porções que contemplem carboidratos, proteínas, lipídios, fibras, vitaminas e minerais. Uma metade do prato deve ser formada por verduras e legumes (crus ou cozidos). A outra metade deve ser dividida em duas partes: uma deve conter um alimento rico em proteínas (carne, frango ou peixe com pouca gordura ou ovos), podendo ser complementada com leguminosas (feijão, grão de bico, soja, lentilha), e a outra, alimentos ricos em carboidratos, de preferência em sua forma integral, com bastantes fibras (arroz, massas, batatas, mandioca, mandioquinha, farinhas).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Apelação no Novo CPC: o que mudou?

                                                                                              v Apelação no Novo CPC: o que mudou? ...

Tornar a ver