sábado, 23 de abril de 2011

Cancro da tiróide
O diagnóstico de cancro da tiróide é assustador para a maior parte das pessoas , pela sua
associação com dor e morte. Na verdade o prognóstico desta doença é geralmente excelente,
porque:
• A cirurgia é curativa na maioria dos casos.
• Praticamente não causa dor ou incapacidade.
• O tratamento é geralmente eficaz.
Geralmente apresenta-se sob a forma de um nódulo da tiróide. Ocasionalmente o cancro da
tiróide pode apresentar-se sob a forma de um gânglio linfático cervical aumentado, rouquidão
por compressão do nervo da voz (nervo laríngeo recorrente), ou dificuldade na deglutição ou
respiração devido à obstrução do esófago ou laringe.
Noventa por cento dos cancros da tiróide são formas diferenciadas, e têm um bom prognóstico.
Há 2 tipos de cancro diferenciado: papilar e folicular.
O exame anatomopatológico de tiróides consideradas normais pode revelar áreas mínimas de
cancro papilar .Estes cancros microscópicos parecem não ter tendência para crescer e por
esse motivo não têm importância clínica.
São clinicamente importantes quando aparecem sob a forma de nódulo da tiróide, porque
podem continuar a crescer e espalhar-se pelo organismo. O cancro papilar da tiróide
compreende 70 a 80% dos cancros da tiróide.
O que fundamentalmente determina o prognóstico dos doentes é a extensão da doença
original, as dimensões do tumor e a idade do doente.
Cerca de 85% dos doentes cujo tumor primário é intratiroideu (confinado à tiróide) têm um
excelente prognóstico, a taxa de mortalidade aos 25 anos é de 1%. Isto significa que passado
25 anos apenas 1 em cada 100 doentes faleceu de cancro da tiróide. A grande maioria dos
doentes estão permanentemente curados. O prognóstico pode não ser tão favorável em
doentes com idade superior a 50 anos ou um tumor de dimensão superior a 4 cm. O
prognóstico é mais reservado quando o cancro se estende para fora da tiróide, invade a
cápsula da glândula e atinge os outros tecidos do pescoço.
Num pequeno número de casos, o cancro pode disseminar-se pelo sangue para locais à
distância nomeadamente pulmão e osso. Estes tumores à distância (metástases) podem ser
tratados com iodo radioactivo.
O cancro folicular da tiróide compreende 10-15% dos cancros da tiróide e parece ocorrer em
idades mais avançadas que o cancro papilar.
O cancro folicular parece ter um comportamento mais agressivo que o cancro papilar da tiróide.
Num terço dos doentes o tumor é minimamente invasivo com um excelente prognóstico. Em
2/3 dos doentes o cancro folicular é mais invasivo. Pode-se espalhar pelo sangue e atingir
locais à distância nomeadamente pulmão e osso. Geralmente o prognóstico é melhor em
idades jovens que em indivíduos com mais de 50 anos.
Tratamento
O tratamento primário para os cancros da tiróide é a cirurgia. Para as formas agressivas do
cancro folicular e papilar a abordagem inicial é a remoção de toda a glândula tiróide
(tiroidectomia total). Tratando-se de cancro papilar intratiroideu de menores dimensões e
cancro folicular minimamente invasivo poderá não ser necessária uma cirurgia tão extensa.
Visto que o prognóstico destas formas de cancro diferenciado é excelente independentemente
da abordagem cirúrgica, não há regras absolutas no tratamento cirúrgico.
O iodo radioactivo é usado para o tratamento do cancro diferenciado da tiróide agressivo que

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dennis Nilsen, o necrófilo escocês

  7 de julho de 2016 Dennis Nilsen, o necrófilo escocês Por   Henrique Saibro   e   Bernardo de Azevedo e Souza Por Berna...

Tornar a ver