segunda-feira, 18 de abril de 2011

ABC da SaúdePortal direcionado ao público em geral que tem por objetivo a informação, divulgação e educação sobre temas de saúde com mais de 750 artigos escritos exclusivamente por mais de 30 especialistas. Audiência: 29 milhões de visitas em 2010.
Newsletter ABC da Saúde
Cadastre seu e-mail : Ok Quem somosEspecialidadesProfissionaisDieta do MediterrâneoCartão de BenefíciosTwitterRSS

Pesquisa por ordem alfabética:
ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZAcesso Rápido
Homem

Mulher
Criança

Pele
Sexo

Comportamento
Cirurgia Plástica

Coração
Câncer

Dentes
Reumatismo

Infecções
Imprimir Compartilhar


VERTIGEM
Sinônimos e Nomes Populares:

As palavras e expressões usadas pelos pacientes para descrever distúrbios associados ao equilíbrio são variadas e surpreendentemente vagas. Vão desde queixas de "turvação visual", "visão dupla", "ficar zonzo" até: zonzeira, tontura, tonteira, perda dos sentidos, fraqueza.

O que é?
É a ilusão de movimento do corpo ou do ambiente algumas vezes definida adicionalmente como rotatória ou unidirecional. Freqüentemente é associada com outros sintomas como impulsão (sensação do corpo empurrado ou arremessado para o espaço), osciloscopia (ilusão visual de movimento para frente e para trás), náuseas, vômitos, ataxia de marcha.
Como se desenvolve ou se adquire?
Trata-se de um sintoma comum, associado a uma série de patologias possíveis de serem ditas como causadoras do processo. Podem ser:
periféricas


vertigem posicional benigna
neuronite vestibular
doença de Ménière
infecção
vasculopatias: isquemia arterial cerebelar anterior inferior
tumor: neuroma do acústico
toxinas: aminoglicosídeos, álcool, salicilatos
traumatismo

central


doença vascular: isquemia e infarto sistema vertebro-basilar
enxaqueca
esclerose múltipla
tumor do tronco cerebral

O que se sente?
A vertigem é definida como a experiência consciente de um movimento giratório; os pacientes percebem uma anormalidade do equilíbrio, achando-a desagradável; eles podem descrever a si mesmos ou ao ambiente como se movendo, rodando, inclinando-se; por vezes, de início súbito, acompanhado de náuseas e vômitos.
Como o médico faz o diagnóstico?
Pela história clínica do paciente (anamnese), devendo prestar atenção ao início e à duração dos sintomas, aos episódios recorrentes, posição, zumbido nos ouvidos, perda auditiva.
Pelo exame neurológico, testes de audição, testes de campo visual, ataxia, disartria, diplopia, anormalidades de nervos cranianos.
Por estudos de investigação: exames de sangue (deficiência de vitamina B12, diminuição níveis hormonais); exame do líquor (aumento de proteínas, tumores, polineuropatias, infecção); exames de imagem (tomografia de encéfalo, ressonância magnética de encéfalo); por audiometria, eletronistagmografia, resposta evocada auditiva.
Como se trata?
Depende de suas causas e de acordo com a intensidade dos sintomas. Geralmente utilizam-se drogas como os anti-histamínicos, anticolinérgicos, fenotiazínicos.
Medidas gerais como se deitar, fazer relaxamento, evitar movimento extremo da cabeça, fixação do olhar ajudam a aliviar os sintomas.
Se houver persistência dos sintomas (vertigem, desequilíbrio), o paciente poderá se tornar incapacitado, podendo o tratamento proposto não ter sido benéfico ou ter falhado. Este tipo de paciente é candidato a uma reabilitação vestibular cujos objetivos estão na diminuição da ocorrência de vertigem, melhora da função dinâmica diária, restauração da auto-estima.
Esta reabilitação consiste em exercícios para habituar o padrão vestibular, exercícios de equilíbrio, de coordenação do paciente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário