sábado, 2 de abril de 2011

ALMA DO SILÊNCIO: DESESPERO

ALMA DO SILÊNCIO: DESESPERO: "DESESPERO(ALMA DO SILÊNCIO) Uma onda de calor me aquece, não sei dizer onde esquece, nem onde tudo começa, apenas onde se encerra, uma onda... Juro que não falarei sobre a poeta... Vontade é que não falta... Mas se eu mergulhar no leito por onde corre este rio... irei me perder no Oceano!... Por via da certeza... fico com a poesia a observar o Leito... É uma explosão sem tamanho!... É agonia!... Faz bem e mal também faz... Tudo ao mesmo tempo... Ora! Arre!... Chega de tanto horror!... Vem poesia... cair em braços meus... direi dos meus versos dos seus completamente nus!... É momento de ORAÇÃO... É hora de AMAR... Vem POESIA... Flor Mulher... darei toda a magia e inquietude do meu olhar para os seus VERSOS REVERSOS... desnudar... Ponhar-lhe-ei aos avessos e encherei de amor, ardor, queimor, calor e paixão os dias SEUS... os dias MEUS!... Vem poesia... É hora de fazer A M O R ... É hora de A M A R!...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para Aldo Fornazieri, 'convulsão social já está ocorrendo'

Crise Na opinião de professor de Filosofia Política, "Temer está dando uma aula de como os profissionais de uma quadrilha reagem co...

Tornar a ver